Arquivo anual 2018

porRaquel Hipólito

Auriculoterapia é usada no tratamento para chikungunya

A técnica tradicional Chinesa utiliza sementes em alguns pontos na orelha e ajudam a reduzir as dores causadas pela doença.

Sentir dores intensas nas articulações dos pés, das mãos e do corpo todo, parar de fazer as caminhadas diárias e não ter ideia de como mudar a situação. Foi isso que a vendedora Rosa de Fátima passou depois de ter sido picada pelo mosquito Aedes aegypti e contraído a chikungunya.

Mas depois que ela começou a aplicar sementes em alguns pontos específicos da orelha, a dor sumiu. “Depois disso não tive mais dor e consigo fazer tudo normal”, relata Rosa. A técnica é chamada de auriculoterapia, que utiliza tecnologia semelhante a acupuntura, mas não usa agulhas e sim sementes para fazer o tratamento.

 A vendedora conheceu a técnica ao participar do projeto Grupo de Atenção Integral e Pesquisa em Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa (Gaipa) – ação de extensão do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal do Ceará. A terapia complementar vem da cultura chinesa e já foi usada para o tratamento de várias doenças. A técnica é uma das 29 Práticas Integrativas Complementares ofertadas no SUS.

Melhora

“Devido ao baixo custo e ao relato na literatura científica sobre a sua efetividade no tratamento das dores musculoesqueléticas, o resultado foi positivo. A medida que a demanda de pacientes aumentou na nossa unidade, nós sentimos a necessidade de fazer também uma capacitação de profissionais do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF) para essas práticas integrativas”, explica o coordenador do Gaipa, Bernardo Diniz Coutinho.

O tratamento é oferecido pelos alunos da universidade e por profissionais que atuam nas unidades de saúde do SUS. Os pacientes chegam com dor devido à chikungunya, passam pela triagem das unidades de saúde e são encaminhados para o tratamento. As aplicações são feitas de acordo com a situação de cada paciente.

“O paciente que procura o nosso serviço, normalmente, já vem com histórico de dor intensa, e isso acaba comprometendo a qualidade do seu sono, do seu estado de humor a suas relações sociais no trabalho, como o desempenho de atividades em casa. Um paciente com histórico de meses de dor, sem melhora com o uso do tratamento de medicamentos, com a auriculoterapia ele relata melhora de redução da intensidade da dor no corpo, melhora da qualidade do sono e na hora que a gente avalia a capacidade física dele, de exames de testes clínicos confiáveis, nós percebemos também a melhora a parte funcional do corpo a partir da segunda sessão”, falou Bernardo.

Tratamento para chikungunya

Não existe vacina ou tratamento específico para chikungunya. Os sintomas são tratados com medicação para a febre (paracetamol) e as dores articulares (antiinflamatórios). Os sintomas iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito e incluem, também dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Para Rosa, o tratamento com a auriculoterapia veio como um remédio e com pouco tempo de tratamento ela se sente renovada. “Eu sempre caminhei e passei muito tempo sem poder caminhar depois da Chikungunya, só que depois de um mês de auriculoterapia eu voltei a caminhar. Hoje eu tenho uma vida normal”.

O Gaipa atua nas unidades de saúde com essas técnicas de práticas complementares há certa de dois anos, a fim de ofertar uma atenção integral, humanizada à população com esses tipos de doenças. Além disso, realiza pesquisas para o aprimoramento da atenção à saúde, avaliando a eficácia, efetividade e segurança dos cuidados prestados.

Por Luiza Tiné, para o Blog da Saúde.
Fonte: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53333-auriculoterapia-e-usada-no-tratamento-para-chikungunya

porRaquel Hipólito

Auriculoterapia dói?

Depende…
Depende do material que é utilizado e do limiar de dor de cada pessoa.
Vou falar melhor dentro da escola que sigo que é a Escola Chinesa da Huang Li Chun, onde usamos semente de mostarda ou de vacaria para estimular os pontos.
Essas sementes ficam posicionadas e coladas na orelha com esparadrapo por  5 dias consecutivos, retiramos as sementes, a orelha descansa 1 dia e faz uma nova aplicação.

8

 

 

 

 

Para responder essa pergunta é importante termos em mente que os 160 pontos da orelha quando ficam mais sensíveis a dor, indicam que estão em desequilíbrio e precisam ser tratados.
Portanto se você chega no consultório para ser atendido com uma queixa por exemplo de inflamação no joelho, o seu ponto do joelho dependendo do grau da inflamação vai estar mais ou menos dolorido.
Em cima desse ponto será colocado as sementes de mostarda ou vacaria, e sim, esse ponto pode ficar dolorido, é uma dor suportável, que costumo dizer que “é a dor da melhora”.

Quando meu paciente pergunta se aquela dor que ele está sentindo na orelha é normal eu devolvo com uma pergunta:
Como está o seu joelho?
Normalmente a resposta é: Nossa, meu joelho está bem melhor, quase sem dor, já estou conseguindo fazer movimentos que antes não estava conseguindo.
Daí então eu respondo: Essa dor é normal sim, pois o ponto na sua orelha está sendo tratado, você pode perceber isso com a melhora que teve no joelho.

Faz parte do tratamento essa dor no ponto, o que temos que ficar atentos é somente se não está acontecendo algum processo alérgico no ponto, por causa do esparadrapo ou semente, do restante a dor no ponto é normal sim.

Hoje em nossa cultura Ocidental estamos acostumados com o imediatismo, com o alívio quase instantâneo da dor quando ingerimos um analgésico. Porém quando passa o efeito do remédio, a dor volta.
Já nos tratamentos da Medicina Tradicional Chinesa, a cura é profunda, existe um reequilíbrio energético, emocional e físico. Para esse reequilíbrio acontecer, vai doer um pouco, mas é uma dor que está curando profundamente.
O preço dessa dor na orelha vale muito a pena, já que a cura será de forma integral na sua saúde e vida.
Confie e faça o seu tratamento, você não irá se arrepender.

porRaquel Hipólito

Todo atendimento ou tratamento de Auriculoterapia são iguais?

Não, não são iguais
Você já deve ter percebido que alguns terapeutas usam 1 orelha por vez para fazer o tratamento, já tem outros terapeutas que utilizam as 2 orelhas ao mesmo tempo. Uns usam 1 semente em cada ponto,  tem outros terapeutas que utilizam 2 sementes em cada ponto.

E por que existe essa diferença?
Porque existe 3 grande escolas de Auriculoterapia e cada uma tem a sua particularidade. Dependendo de qual escola você ou o seu terapeuta segue, o tratemento e uso de materiais serão diferentes.

As 3 grande escolas são:
Escola Chinesa Tradicional, Escola Chinesa da Huang Li Chun e Escola Francesa

Escola Tradicional Chinesa

Usa 1 orelha por vez, 1 semente ou esfera em cada ponto, usa diversos tipos de materiais como semente de mostarda, agulha semipermanente, moxabustão, sangria, agulha sistêmica, esfera de prata, ouro ou cristal.

varios estimulos-01-01

 

Usa também uma técnica chamada de triângulo cibernético ou pontos básicos, esse termo foi criado pelo prof. Marcelo Pereira de Souza que são: Shen Men, Rim e Simpático.
Ele afirma que o uso desses 3 pontos em todos os atendimentos faz com que o tratamento seja mais eficaz.
Outra característica é que existe vários mapas com algumas diferenças entre eles, sendo uns com mais pontos outros com pontos em locais diferentes. Isso depende de cada autor desses mapas.

 Escola Chinesa da Huang Li Chun

hqdefault

 

A dra Huang Li Chun,  é uma médica cirurgiã formada também em Medicina Tradicional Chinesa, considerada a maior autoridade na área de Auriculomedicina no mundo. Há mais de 40 anos ela se dedica ao estudo, ao aprimoramento e ao atendimento de Auriculoterapia. Ela já atendeu mais de 250.000 pacientes ao redor do mundo.

 

 

 

Na escola dela usa-se as 2 orelhas ao mesmo tempo, 2 sementes em cada ponto. Existe uma forma precisa para localizar cada ponto, existe somente 1 mapa. Usa-se somente 3 tipos de estímulos – Massagem, aplicação de semente de mostarda ou vacaria e sangria. Não usa agulha, esferas de prata, ouro, cristal, moxa…

3 estimulos huang-01

 

Escola Francesa

dr_pic9

 

Dr. Paul Nogier, um médico Francês, que na década de 50 associou a distribuição dos pontos da orelha com um feto de cabeça invertida. Com isso ele despertou o interesse e impulsionou o desenvolvimento da auriculoterapia tanto na França como no China.

 

 

 

Na escola francesa utiliza 1 orelha de cada vez, 1 esfera em cada ponto, usa diversos tipos de materiais como as agulhas, esferas, porém tem uma agulha específica que eles utilizam dentro da auriculo francesa  que é a agulha ASP, que tem um formato de lança.

1429542986_st25_detail1

 

Cada escola tem sua particularidade e cada terapeuta se identifica com uma, minha sugestão é: Escolha um método e siga somente ele, para que seu atendimento seja mais eficaz e assim utilize o que tem de melhor em cada técnica.

Veja no vídeo abaixo mais detalhes sobre as 3 grande escolas:

 

 

porRaquel Hipólito

O poder da Auriculoterapia

Por que a Auriculoterapia é tão fantástica?

Essa é uma resposta bem difícil, e através de um atendimento em especial que fiz, acredito que eu tenha agora uma possível resposta.

O atendimento começou com a paciente dizendo que sua queixa é enxaqueca.
Ela relata que sente dores de cabeça todos os dias há mais de 20 anos.
TODOS OS DIAS, imagine você sentir dores todos os dias e saber que a sua única opção é tomar remédios e que logo os efeitos passam e você tem que tomar novos remédios.

Expliquei para ela como seria o procedimento com a Auriculoterapia, como funcionava, que os estímulos iam acontecer através de uma semente de mostarda em pontos específicos e que o próprio corpo ia promover a melhora.
Seus olhos brilharam em saber que existe uma outra opção sem ser os remédios, que é uma forma natural de medicina, e o melhor: sem efeitos colaterais.

Foi então que me dei conta que essa é a resposta:
A auriculotearapia é tão fantástica porque oferece uma opção para quem já não enxerga mais nenhuma outra solução a  não ser os remédios, é sentir uma melhora imediata e acreditar que essa técnica pode fazer bem para os seus filhos.

E você, por que acha a Auriculoterapia tão fantástica?